Balneário Ilha Verde – opção de lazer em Lajeado

Com um cenário natural que enche os olhos de quem passa pela cidade, Lajeado é um município que também se destaca no Tocantins pela sua beleza natural. Localizado em uma região privilegiada, composta por belas serras e muita água, pode se dizer que o município reserva raras belezas naturais que encanta até mesmo quem não curte uma cidade interiorana. Uma opção para este domingo, Dia das Mães.

Distante da Palmas apenas 52 KM, acesso pelo TO 010, Lajeado vai aos poucos se transformando em refúgio dos grandes centros. Por ser próximo a Capital é uma excelente opção para o fim de semana, ou apenas um domingo ou feriado. O passeio começa no percurso, a TO 010, de um lado o Lago de Lajeado e do outro a Serra do Carmo com cenários cinematográficos.

Literalmente dentro da cidade, o Balneário Ilha Verde é uma sequência de cachoeiras do Ribeirão Lajeado que formam uma grande piscina, uma opção de lazer para toda a família. Área para camping, bares e restaurantes além de hotéis e pousadas, e de brinde água límpida de uma temperatura média de 18 graus, opções de trilhas e é claro, uma natureza exuberante. E no retorno para casa, você ainda terá a oportunidade de apreciar um lindo por do sol do cerrado.

O pequeno município passou por várias transformações, principalmente na área econômica com a construção da Usina de Lajeado que deu ao local, recém emancipado, fama nacional. A Cidade recebeu e ainda recebe gente de todos os lugares do País que procura o município em busca de trabalho e melhor qualidade de vida.

Ribeirao Lageado ao fundo Morro do Segredo - Lenna Borges
Ribeirao Lageado ao fundo Morro do Segredo - Lenna Borges

Morro do Segredo

Elevação exótica de 250 metros de altitude que fica a 1 Km do centro da cidade. O morro se assemelha a um vulcão inativo, desprovido de vegetação ao seu redor.  A elevação é vista de qualquer ponto da cidade, aparentando sempre a mesma forma, de diferentes pontos de observação. O morro guarda muitos segredos, lendas e fenômenos como o aparecimento constante de luzes misteriosas, apontadas pelos moradores como discos voadores.

Comidas típicas e artesanato

Na culinária tradicional do município, tem-se o suco de cajá e peixe frito como a traíra, o tucunaré e a caranha. O artesanato é feito à base do barro, madeira, coqueiro e palha de buriti. Muitas lendas da cidade se originam na Serra do Lajeado com seus mistérios indecifráveis. Não faltam as estórias com elementos como tocha de fogo, cobra de ouro e muitas visões fantásticas, frutos do rico imaginário popular da cidade.

História

Emancipado em fevereiro de 1991, quando foi desmembrado do município de Tocantínia, Lajeado tem se transformado aos poucos num pólo de desenvolvimento sustentável com condições de receber bem quem escolhe o lugar para morar.

Balneario Ilha Verde - Foto: Lenna Borges
Balneario Ilha Verde - Foto: Lenna Borges

Sendo apenas um distrito ou povoado, como era conhecido antes de ser emancipado, Lajeado recebeu seus primeiros habitantes por volta do século XVIII através da navegação. As primeiras famílias a chegarem à região foram imigrantes nordestinos, vindo do Piauí, Bahia e Maranhão. A navegação, que era feita por botes e batelões a remo (canoa), era o meio de transporte mais viável para a comercialização de mercadorias trazidas das regiões norte e nordeste.

O comércio funcionava a base de troca destas mercadorias por ouro explorado da serra do lajeado. A descoberta do ouro, na década de 20, contribuiu muito com o povoamento do local que abrigou os garimpeiros de várias regiões. O rio Tocantins era o principal acesso às cidades mais desenvolvidas, como Tocantínia e Porto Nacional, percurso que era feito em dois ou três dias de canoas.

Com o passar do tempo, Lajeado foi tomando forma de cidade e já eram muitos os que escolheram aquele lugar para fixar moradia. O lugarejo, que teve como seus primeiros moradores o desbravador Sérgio Monteiro e sua esposa Dona Maria Monteiro, se consolidou como povoado, depois que um dos filhos do casal, Justiniano Sales Monteiro, um visionário futurista, efetivou o comércio fluvial na região, feito pelo rio Tocantins. Foi ele também o responsável pelas primeiras construções públicas na região como a construção da primeira capela de Lajeado, a Igreja de Nossa Senhora da Divina Providência e a histórica Usina Hidrelétrica do Lajeado, inaugurada em 1971. Justiniano Monteiro é considerado, pelos lajeadenses, o fundador da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *